terça-feira, 3 de junho de 2014

Resenha: Incendeia-me


Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2014
Páginas: 383
Nota: 5/5 (Favorito)

Sinopse: O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho d O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.


Obs: A resenha é do último livro de uma trilogia porém eu não darei spoiler's, podem ler sem qualquer restrição caso não tenham lido nenhum livro da trilogia ou ainda estejam na metade do caminho.


Resenha:


Primeiramente preciso comentar o fato de ter achado incrível a Novo Conceito lançar o último livro com a capa americana, as brasileiras não estavam vendendo, é obvio que o que chama a atenção inicial para um livro é a sua capa, e a capa que a Novo Conceito tentou vender para a série não pegou/funcionou, então eu achei sim muito válido eles fazerem essa mudança, relançarem as capas e ainda proporem aos leitores antigos da trilogia que tinham as duas capas brasileiras anteriores uma jacket com a nova capa, achei a ideia sensacional, tanto para a série, que sem dúvidas as novas capas são muito mais intrigantes e belas, quanto o respeito que a editora apresentou com seus leitores então: aplausos a Novo Conceito nesse aspecto.


Enfim, sem mais delongas vamos para a resenha puramente dita.

Com o final de Liberta-me o segundo livro da trilogia eu imaginaria qualquer coisa para esse final exceto o que a Tahereh fez, ele conseguiu em níveis absurdos me surpreender e me deixar extasiada com toda a leitura, foi uma experiência impressionante, ela poderia ter seguido por milhares de caminhos e decidiu optar pelo menos obvio e pelo menos comum nas distopias atuais, pelo que percebo, infelizmente. 

O desenvolvimento dos personagens nesse último livro para mim é o ponto onde a Tahereh se saiu mais magnífica do que qualquer outro, foi uma evolução tão necessária e ela conseguiu adequar isso tão bem a estória, sem que ficasse parecendo que ocorreu de uma hora para a outra, e isso me deixou imensamente feliz. 

A escrita da autora continua fluindo perfeitamente, mas acho que desse vez ela também se superou, o tempo todo em que eu estive lendo e economizando as páginas desse livro eu realmente não me sentia virá-las, eu só percebi que já tava acabando quando eu notei que faltavam 40 páginas e que eu não estava preparada para dar adeus ao setor 45. 

Ela conduziu todos os personagens para um final intenso, onde qualquer coisa poderia acontecer e fiquei tensa na maioria dos momentos, a Tahereh conseguiu mais uma vez me fazer sentir tudo que a Juliette estava sentindo, me fez aceitar e entender cada ação, ela humaniza demais seus personagens, humaniza ao ponto de você se colocar no lugar daquele personagem e se imaginar fazer praticamente a mesma coisa que ele em determinada situação, acho isso maravilhosamente estranho. 

Consegui notar com uma clareza muito maior nesse último livro todo o lado poético da autora, todas as metáforas e todas as críticas que ela quis que o leitor refletisse, mas ela faz isso de uma forma sutil, primorosa. 

O final foi uma coisa muito natural, uma coisa real, palpável, foi o fim de um começo, ou melhor de um recomeço e achei essa uma escolha extremamente bem pensada da autora, como se ela quisesse mostrar que o fim de uma distopia na verdade consiste em um começo, um começo de uma coisa nova, com esperança, algo melhor do que se tinha, algo incerto mas algo pelo que valeu a pena lutar, esperar e agora vale a pena colocar em prática, e para mim é assim que realmente deveriam ser as distopias, nada acaba perfeitamente bem, tudo acaba em um começo novo e me deixou com uma sensação muito boa ver que a Tahereh aparentemente compartilha esse tipo de visão também. 

É uma trilogia que eu recomendo por completo, são personagens cativantes, estórias cativantes e uma trama muito bem escrita e ligada, eu confesso que já estou com saudades de todos, do Warner, da Juliette do Kenji... enfim, todos! 

Foi uma estória marcante que eu quero que muitas outras pessoas conheçam, apreciem, se apaixonem assim como eu, se deixe entrar na cabeça da Juliette, se deixe conhecer todos esses personagens maravilhosos que fazem parte do convívio da mesma, se deixem afeiçoar, aposto que vão adorar, beijos da ma!

4 comentários:

  1. Ta todo mundo falando super bem dessa trologia.. Preciso conferir logo :)
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisa mesmo, aposto que você vai adorar :)
      Beijos!

      Excluir
  2. Já vi muuuuuitas resenhas a respeito tanto desse quanto dos outros livros e com tanta gente recomendando acho que vou ter que passar eles á frente na lista de leituras, rs.
    Beijos,
    http://viajandoentrepalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passa sim, é uma distopia maravilhosa, recomendo muito, aposto que você irá adorar :)
      Beijos!

      Excluir